Aluguel de bicicletas começa no Dia Mundial Sem Meu Carro

12 09 2012

Do site da Prefeitura de Porto Alegre

Como vai funcionar o sistema

A partir de sábado, 22, data alusiva ao Dia Mundial Sem Meu Carro, começará o serviço de aluguel de bicicletas públicas de Porto Alegre. O sistema se chamará BikePoa e será administrado pela empresa Serttel, com acompanhamento da prefeitura, por intermédio da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).

Em um primeiro momento, serão 50 bicicletas e cinco estações (Largo Glênio Peres/Mercado Público, Praça da Alfândega, Casa de Cultura, Usina do Gasômetro e Câmara de Vereadores), onde poderão ser realizadas as integração entre elas e complementadas com o serviço de transporte público, como metrô, ônibus, lotação e catamarã.

O valor do passe mensal será R$ 10 e o diário R$ 5. “O sistema permite que as bicicletas sejam utilizadas durante todo o dia, tanto no modo mensal como diário. Uma mesma bicicleta pode ser usada por uma hora, com pausas de 15 minutos para substituição. O objetivo é incentivar a rotatividade do serviço”, diz Peter Cabral, diretor da Serttel.

O cadastramento para utilizar as bicicletas públicas de aluguel em Porto Alegre inicia, quinta-feira, 20, e poderá ser realizado pelo site http://www.movesamba.com/bikepoa (em funcionamento a partir de quinta). Pessoas de qualquer cidade podem se cadastrar e utilizar as bicicletas na Capital. O pagamento deverá ser realizado por cartão de crédito e o desbloqueio das bicicletas será feito pelo celular, informando a estação, ou por aplicativo para smartphones, no sistema Android e IPhone (que serão disponibilizados a partir de quinta).

O sistema BikePoa terá 400 bicicletas e 40 estações espalhadas por diversos pontos da Capital, como universidades, pontos turísticos, pólos de atratividade, além de estações de transporte público. “Instalaremos 20 estações em 2012 e mais 20 em 2013. O próximo passo será buscar uma integração com os cartões TRI e SIM”, afirma o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari.

O mesmo modelo de serviço de bicicletas públicas que será usado em Porto Alegre, conta com 25 mil cadastrados em São Paulo e um milhão de viagens realizadas no Rio de Janeiro, ambas capitais. “A ideia é mudar a cultura do trânsito. Transformar a bicicleta em uma alternativa real de transporte, criando um ambiente de convivência pacifica entre motoristas e ciclistas. O beneficio será para todos. As pessoas terão mais saúde, mais agilidade em seus deslocamentos curtos e a cidade ganhará um ar mais puro”, finaliza Cappellari.

Localização das 40 estações a serem implantadas até abril de 2013

Ciclovias - Além do projeto de aluguel de bicicletas, Porto Alegre segue a implantação de ciclovias. As já concluídas são da Restinga (4,6 quilômetros de extensão); avenida Diário de Notícias (2,1 quilômetros); orla de Ipanema (1,25 quilômetros); e ciclofaixa da Icaraí (1,7 quilômetros). As próximas ciclovias serão a da Ipiranga (9,4 quilômetros), primeiro trecho concluído (414m); Aeroporto-Sertório (12 quilômetros); Edvaldo Pereira Paiva/Beira-Rio, (6,35 quilômetros); Padre Cacique (1 quilômetro); Diário de Notícias (2,1 quilômetros); Voluntários da Pátria (3,5 quilômetros); Loureiro da Silva (1,2 quilômetro); e José do Patrocínio (880m). Até a Copa, a EPTC prevê ter 50 quilômetros de espaços exclusivos para os ciclistas em Porto Alegre.




Aluguel de bicicletas em Porto Alegre deve começar no Dia Mundial Sem Carro

4 09 2012

Empresa escolhida pela Prefeitura, Serttel, é a mesma responsável pelo sistema BikeRio

Rachel Duarte

Está prevista a entrega das cinco primeiras estações de aluguel de bicicletas em Porto Alegre para o dia 22 de setembro, Dia Mundial Sem Carro. A data foi estipulada pela empresa Serttel, vencedora do edital de manifestação de interesse aberto pela Prefeitura Municipal em 21 de agosto. O resultado foi divulgado nesta terça-feira (4) pelo prefeito José Fortunati e pelo diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Capellari. O compromisso da empresa é entregar 40 estações até dia 30 de abril de 2013, atingindo a meta de 400 bicicletas na cidade. O valor do aluguel sugerido pela Sertel foi de R$ 5,00 para o passe diário e R$ 10,00 o passe mensal.

Ao todo, cinco empresas apresentaram propostas de interesse para operação do serviço. Foram elas a FGTV, Serttel, Trunfo, MobiBike e Compartibike. A escolha, segundo Capellari, seguiu critérios técnicos exigidos pela equipe que desenvolve as ciclovias na cidade. “Não foi uma escolha aleatória. A Sertel atendeu todos os requisitos para entregar as estações, bicicletas e fazer a manutenção dentro do estudo técnico repassado pela EPTC às empresas participantes da seleção. Levamos em conta também o preço mais barato”, explicou.

O gerente comercial da Compartibike, Eduardo Fernandez acompanhou a divulgação do resultado e questionou a Prefeitura sobre a publicação da ata com o relatório da escolha. Segundo ele, o projeto vencedor foi mais caro e não prevê patrocínio para manutenção do serviço. “Os custos para transporte das bicicletas nas estações, para que nenhuma fique sem os veículos ou com bicicletas demais, além da manutenção delas e toda a instalação das estações… Essas coisas estão com valores caros. O investimento não se paga sem patrocínio. Nossa proposta previa 60 estações por um preço relativo ao TRI (Transporte Integrado de Porto Alegre)”, disse.

O diretor da EPTC esclareceu que algumas empresas tiveram problemas com documentação ou não apresentaram as condições necessárias para execução do serviço. Capellari informou também que não foi estipulada exigência de patrocínio e a empresa vencedora terá que arcar, com patrocínio ou não, os compromissos assumidos com a administração municipal. “A empresa vencedora apresentou um cronograma e terá que cumprir, de acordo com as exigências que estipulamos. Se não cumprir essas exigências, estará fora. Ela administrará o serviço por um ano, podendo ser prorrogado por mais 36 meses ou não”, salientou.

A empresa Serttel é mesma que realizou o serviço de aluguel de bicicletas no Rio de Janeiro. Além da capital carioca, inspiram o modelo a ser implantado em Porto Alegre os utilizados em Paris e Londres. “Observamos um aumento no número de ciclistas na cidade, o que demonstra uma mudança cultural. Com a diferença que, em Londres há poucas ciclovias e aqui estamos com uma série delas em andamento. Todas as obras da Copa do Mundo prevêem construção de ciclovias”, salientou José Fortunati.

Dentro do Plano Diretor Cicloviário, aprovado na Câmara de Vereadores de Porto Alegre, a Prefeitura de Porto Alegre informa que já estão em funcionamento as ciclovias da Restinga (4,6 quilômetros); Ipanema (1,25 quilômetros); Diário de Notícias (2,1 quilômetros) e Icaraí (1,7 quilômetros). Estão em construção também, segundo a EPTC, a Ciclovia da Avenida Ipiranga (9,4 quilômetros) e a da Edvaldo Pereira Paiva (6,35 quilômetros). Estão projetadas ainda, ciclovias para as obras da Copa do Mundo na Avenida Tronco (5,6km); Severo Dullius (1,6 quilômetros); Sertório (12 quilômetros) e Voluntários da Pátria (3,5 quilômetros).

Fortunati: “Se ocorrerá a integração, só o tempo dirá”

Cada estação terá de seis a 12 bicicletas disponíveis para uso. A intenção é colocar ao menos uma estação em cada terminal de ônibus dos pontos escolhidos para instalação do aluguel das bicicletas. O mapa das estações foi sugerido pela empresa, mas ainda será analisado pela EPTC e poderá sofrer ajustes conforme o impacto na mobilidade. “Vamos estudar a possibilidade de futuramente integrar o aluguel ao TRI para o usuário pagar a bicicleta com o cartão do sistema integrado de transporte da cidade”, falou Vanderlei Capellari.

A integração com os demais modais da cidade, como o futuro projeto do Metrô de Porto Alegre as ciclovias que estão sendo construídas em Porto Alegre será ajustado depois de o aluguel começar a funcionar. “Se ocorrerá a integração, só o tempo dirá. O importante é começarmos a fazer as coisas acontecerem. Todos os ajustes poderão ser feitos conforme a demanda for surgindo, bem como a ampliação do serviço”, disse Fortunati.

Os interessados em alugar as bicicletas deverão realizar credenciamento prévio no sistema, por meio do site da Sertel, telefone ou aplicativo de celular. A gestão do sistema acontecerá de forma totalmente eletrônica, de modo a contabilizar os deslocamentos de forma automática. O passe diário custará R$ 5,00 e o passe mensal R$ 10 reais. O tempo máximo de utilização será de 60 minutos. Cada hora excedente custará R$ 5,00.

Segundo o diretor da EPTC, o valor para o usuário faz parte da proposta da empresa vencedora e poderá ser alterado futuramente. “Se entenderemos que não está sendo compensatório para o usuário, poderemos alterar”, disse. Com o valor diário do aluguel de bicicleta equivalente ao custo do deslocamento de ida e volta com ônibus em Porto Alegre, hoje R$ 2,85, Capellari explica que a intenção é incentivar o aluguel mensal. “Queremos que as pessoas utilizem a bicicleta como meio de transporte. Deixe a sua em casa ou quem não tem, possa começar a usar. O aluguel diário acabará sendo para o turista ou para lazer”, avaliou.

Será constituído um serviço de Call Center para informar o tempo de percurso entre as estações, o mapa geográfico da localização dos pontos do aluguel, valores, monitoramento do serviço e apuração de defeitos ou outras demandas dos usuários. As estações também terão paineis com identificação nominal da estações, mapa de localização e instruções sobre o aluguel, em português e inglês.

O aluguel de bicicletas começará pelo Centro da Cidade a partir de 22 de setembro, com estações no Mercado Público, Casa de Cultura Mário Quintana, Usina do Gasômetro, Praça da Matriz e Câmara de Vereadores de Porto Alegre. Até 30 de outubro serão entregues mais 10 e em 20 de dezembro mais 20 estações. As demais estão previstas para março e abril de 2013. A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e a Pontifícia Universidade Católica do RS (PUCRS) estão contempladas com estações.

Fonte: Sul21





Confira os locais das estações de aluguel de bicicletas em Porto Alegre

22 08 2012

Veja no mapa os locais onde serão instaladas as primeiras 30 estações de aluguel de bicicletas em Porto Alegre.

Clique aqui para ver em um mapa maior.





Notícias sobre o sistema de aluguel de bicicletas de Porto Alegre

22 08 2012

Matéria publicada no jornal Metro de hoje (12/8/2012) sobre o sistema de aluguel de bicicletas de Porto Alegre.

 

E a matéria da Zero Hora:





Como deve ser o sistema de aluguel de bikes em Porto Alegre

30 07 2012

O caderno Nosso Mundo Sustentável, da ZH, publicou matéria mostrando como deverá ser o sistema de aluguel de bicicletas compartilhadas de Porto Alegre (clique nas imagens abaixo).

De acordo com a Prefeitura, o sistema estará em funcionamento em outubro.

A propósito: o primeiro turno das eleições é dia 7/10 e o segundo turno é dia 28/10. (Tirem suas próprias conclusões.)

 





Prefeitura de Porto Alegre anuncia aluguel de bicicletas no segundo semestre

18 06 2012

Matéria publicada hoje no site da Prefeitura de Porto Alegre anuncia sistema de aluguel de bicicletas compartilhadas no segundo semestre. Em princípio é uma bela notícia, colocando a capital gaúcha no grupo do qual fazem parte Paris, Nova York, Barcelona e, recentemente, Rio de Janeiro, entre algumas centenas de cidades de todos os portes no mundo, que passaram a enxergar a bicicleta como opção efetiva para deslocamentos urbanos, de forma integrada, segura e respeitada.

Mas um sistema como esse deve ser tratado com toda a seriedade do mundo, e não apenas como jogada eleitoreira: as bicicletas e estações devem ser projetadas com atenção às necessidades dos usuários, e além de bonitas, devem ser robustas e receber manutenção frequente. As estações devem estar localizadas de acordo com as necessidades de deslocamento das pessoas, e a fiscalização de trânsito, de modo a estimular que motoristas enxerguem e respeitem os ciclistas deve ser séria e rígida.

Se essas condições forem respeitadas, daremos os mais sinceros parabéns pela iniciativa.

———————————

Porto Alegre terá aluguel de bicicletas no segundo semestre

17/06/2012 12:32:04

 A partir do segundo semestre deste ano, os porto-alegrenses terão acesso a bibicletas de aluguel em 30 pontos da cidade. O novo serviço foi aunciado na manhã deste domingo, 17, pelo prefeito José Fortunati, na largada do Passeio Ciclístico do Bem Estar, no Parque Farroupilha, promovido pela prefeitura e pela Unimed POA. Cerca de 250 ciclistas participaram da ação para celebrar o uso da bicicleta como atividade física e meio de transporte, com a presença do ex-prefeito de Bogotá Enrique Peñalosa.

Conforme explicou o prefeito, o projeto para disponibilizar bicicletas associa-se à construção de ciclovias na Capital no esforço do município de estimular o transporte, com segurança. Até 2014, Porto Alegre terá cerca e 50km de ciclovias. “Estamos trabalhando para criar insfraestrutura para que os ciclistas circulem em segurança, estimulando nos cidadãos a cultura do respeito à bicicleta como meio de transporte”, disse Fortunati. Na nova proposta, os usuários poderão acessar as bicicletas por meio da liberação por celular e entregá-las em outro dos 29 pontos instalados, a exemplo do que ocorre em cidades como Rio de Janeiro e São Paulo.

A estrutura técnica do projeto está formatada pela EPTC. A prefeitura desenvolve agora a avaliação financeira da proposta e está em busca de parceiros para viabilizá-la. De acordo com o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Capellari, o aluguel será de baixo custo. “O valor do aluguel será simbólico, uma vez que teremos parceiros patrocinando a iniciativa. O objetivo é tornar a bicicleta acessível ao cidadão”, explcou Capellari.

Passeio ciclístico – Conhecido mundialmente por estimular o uso da bicicleta, o conferencista do Fronteiras do Pensamento e ex-prefeito de Bogotá, Enrique Peñalosa, participou do passeio ciclístico na Capital. Sobre as soluções em mobilidade urbana para as grandes cidades, defende a priorização das pessoas. “Nos últimos 80 anos, fizemos cidades para os carros. Agora, temos que pensar em espaços qualificados para a circulação das pessoas e das bibicletas”, manifestou Peñalosa.

Os ciclistas percorreram cerca de sete quilômetros, no trecho que inclui a avenida Setembrina, Túnel da Conceição, Rodoviária, Mauá, Gasômetro, avenida Edvaldo Pereira Paiva, Aureliano de Figueiredo Pinto, Venâncio Aires, rua Santana e retorno ao Parque Farroupilha. O evento teve apoio das secretarias municipais do Esporte e Lazer e do Meio Ambiente, EPTC, Itati, Vonpar, Bike Sul e PoaBikers.





Cidadãos ajudam a planejar sistema de aluguel de bicicletas em Nova York

31 03 2012

Estação automatizada de retirada/devolução das bikes públicas de Nova York

Teve grande repercussão na semana que passou a notícia de que Porto Alegre estuda implantar um sistema de aluguel compartilhado de bicicletas, aos moldes daqueles já existentes em Paris, Barcelona, Dublin, Londres, Rio de Janeiro e mais uma penca de outras cidades pelo mundo. Nos Estados Unidos, Nova York pretende estrear o seu sistema em meados de 2012. Para auxiliar no planejamento, o Departamento de Transportes (DOT) convidou a sociedade a participar, sugerindo, por exemplo, a localização de estações de retirada/devolução e até o próprio projeto das bikes a serem usadas.

Porto Alegre tem um reconhecido histórico de participação popular nas decisões de políticas públicas, e nos últimos anos tem visto um enorme envolvimento na causa do cicloativismo. Por enquanto, a comunidade ainda não foi convidada a participar do planejamento do sistema (que eu saiba), mas garanto que tem muita gente boa, propositiva e comprometida com a cidade que aceitaria o convite sem pestanejar.

Pensei num exemplo: dois dos principais empecilhos para o maior uso de bicicletas em Porto Alegre são o calor no verão e a presença de subidas em algumas regiões. Para minimizar esses problemas, as bicicletas poderiam ter um sistema de apoio elétrico, incluindo freios regenerativos e uma bateria integrada ao quadro. As estações de retirada contariam com painéis solares, que seriam mais eficientes justamente nos dias de sol mais forte, e que recarregariam as baterias das bikes enquanto elas estivessem estacionadas ali. Tudo isso com tecnologia e know-how nacionais, que tal?

Enquanto isso não acontece, podemos ver no vídeo abaixo como o sistema de Nova York funcionará.

Página oficial do NYCityBikeShare.








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 214 outros seguidores