EPTC debate novas ciclovias com a comunidade

27 08 2012

A prefeitura, por intermédio da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), realizará reunião com a comunidade na segunda-feira, 3, às 20h, na Igreja Sagrada Família (rua José do Patrocínio, nº 954). A pauta do encontro serão as propostas de implantação de ciclovias na rua José do Patrocínio e na avenida Loureiro da Silva, área central da cidade. O evento, aberto ao público, terá a presença do diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, além dos técnicos responsáveis pelos projetos.

O objetivo da EPTC é interligar essas novas ciclovias com as da Edvaldo Pereira Paiva e Ipiranga, que estão em obras. De acordo com as propostas iniciais, na José da Patrocínio, o espaço exclusivo para os ciclistas terá 880 metros de extensão, ligando as avenidas Loureiro da Silva e Venâncio Aires. Na Loureiro da Silva, a ciclovia terá 1,2 mil metros, interligando a José do Patrocínio e Vasco Alves. “Vamos apresentar as propostas originais, debater com as pessoas, receber sugestões. Acreditamos que ações como essa contribuem significativamente para a cidade, qualificando cada vez mais a mobilidade. A próxima etapa, após os debates com a comunidade, será a de elaborar o projeto e posterior implantação, com investimentos do município”, afirma Cappellari.

Novas ciclovias projetadas: em azul, na Rua José do Patrocínio (880m). Em vermelho, na Av. Loureiro da Silva (1,2km)

Fonte: Prefeitura Municipal de Porto Alegre





O prefeito, de novo na contramão

11 05 2012

Foi inaugurada ontem a ciclofaixa da Av. Icaraí, com 1,7km de extensão na Zona Sul de Porto Alegre. Presentes estavam o prefeito da Capital, José Fortunati, e o Diretor da EPTC, Vanderlei Cappellari. Repetindo a trapalhada da ciclovia da Av. Ipiranga (link), Fortunati demonstrou mais uma vez sua convicção em pedalar na contramão, como pode ser visto no vídeo abaixo (a partir dos 3:40″ e depois nos 6:20″em diante).

Mas sejamos justos: diferente do que aconteceu na Ipiranga, dessa vez o prefeito não tinha como pedalar no sentido correto, já que a ciclofaixa da Icaraí é unidirecional, apenas no sentido bairro-centro. É mais ou menos o equivalente cicloviário a uma passagem só de ida para onde quer que seja. Coagido a desrespeitar o Código de Trânsito Brasileiro e colocar sua vida em risco, Fortunati deveria cobrar uma atitude enérgica das autoridades, antes que acidentes ocorram naquele local.

Mas andar na contramão não é a única trapalhada do nosso prefeito: talvez de tão impregnada de carrocentrismo que esteja a mentalidade dos ocupantes do Paço Municipal, Fortunati cometeu mais um deslize (9:30″), ao dizer que “A ciclofaixa é uma alternativa em vias onde a ciclovia não pode ser construída permitindo o estímulo ao uso do automóvel“. Porra, prefeito! Se bem que nem dá pra se queixar muito, já que nem diferenciar ciclovia de ciclofaixa ele sabe (veja nos 0:35″).





Ciclovia da Ipiranga ficará pronta em 2025

3 05 2012

Conforme o site da Prefeitura de Porto Alegre, será inaugurado amanhã (4/5) o primeiro trecho da ciclovia da Av. Ipiranga. O trecho, de 416 metros, corresponde a 4,4% do trajeto total previsto, que é de 9,4 quilômetros. A obra iniciou no Dia Mundial Sem Carro, no ano passado (22/9), com um passeio ciclístico demagógico simbólico das autoridades da Capital gaúcha, exatos 224 dias atrás. Se o mesmo ritmo for mantido, podemos esperar a inauguração do percurso completo para o ano de 2025!

É inquestionável a necessidade de implantação da malha cicloviária em Porto Alegre. Mas a forma como o processo está sendo feito, sem ouvir usuários do sistema, vai dificultar a vida de quem quer pedalar.

(Só para se ter uma ideia, enquanto aqui o cumprimento da lei por parte do executivo (que se faz de sonso) está sendo exigido pelo Ministério Público, em Londres, uma das maiores cidades do mundo, as ciclovias estão no centro da campanha dos candidatos a prefeito.)

Ciclovia da Ipiranga: “tapete vermelho” do lado do esgoto a céu aberto (Foto Andrey Cidade/Divulgação PMPA)





Ministério Público pede bloqueio do orçamento da EPTC para ciclovias

19 04 2012

Matéria publicada no jornal Metro de hoje (19/04/2012).





Icaraí: Capital ganha mais um espaço para os ciclistas

2 04 2012

(Notícia publicada no site da Prefeitura de Porto Alegre)

A prefeitura, por intermédio da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), inicia nesta segunda-feira, 2, as obras para mais um novo espaço para os ciclistas na Capital: a ciclofaixa da avenida Icaraí. Ao todo, ela terá 1,7 km de extensão, entre as avenidas Chuí e Wenceslau Escobar, no sentido bairro-centro, localizada ao lado direito da via, junto ao meio-fio e segregada por tachões. O asfalto será pintado na cor vermelha e receberá sinalização horizontal específica para quem utiliza a bicicleta para deslocamentos.

O coordenador dos projetos de mobilidade da EPTC, arquiteto Régulo Ferrari, salienta que o projeto é a primeira ciclofaixa implantada em uma via arterial da cidade. A experiência deverá receber aperfeiçoamentos para ser implantada em outras ruas da cidade. “Realizamos diversos estudos e buscamos as melhores alternativas de segurança para a circulação dos ciclistas”.

Mesmo com a implantação da ciclofaixa, o número de faixas para os veículos automotores seguirá o mesmo, assim como as vagas para estacionamento ao longo da avenida. Em alguns trechos, onde há permissão de embarque e desembarque, carga e descarga ou pontos de parada de ônibus, serão criados recuos viários, onde os ciclistas deverão aguardar as ações dos condutores na ciclofaixa.

Segundo o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, o projeto da ciclofaixa da Icaraí foi elaborado para realizar a integração com a ciclovia da Diário de Notícias e, futuramente, com a da avenida Tronco, criando uma rede de ciclovias. “Porto Alegre abraçou a cultura da bicicleta. A cidade e a prefeitura estão dedicadas em transformar a bicicleta numa alternativa de transporte. Os debates prosseguem e nós estamos trabalhando para implantar, a cada dia, novas ciclovias e ciclofaixas”, afirmou.

Dicas e orientações para motoristas, pedestres e ciclistas que circularão nas imediações e na ciclofaixa da Icaraí

  • A ciclofaixa será junto ao meio-fio. Nos locais onde é permitido o estacionamento, este será demarcado à esquerda da ciclofaixa.
  • Haverá sinalização específica para paradas de ônibus, locais de embarque e desembarque e de carga e descarga
  • Nos cruzamentos, a preferência é do ciclista.O motorista que desejar converter à direita deve ter consciência de que a velocidade do ciclista é superior à do pedestre, devendo redobrar a  atenção.
  • O ciclista deve trafegar apenas na mão correta, usando no sentido centro-bairro a pista contrária ou a ciclovia da  Diário de Notícias.
  • Nos cruzamentos o semáforo deve ser respeitado. A preferência é do pedestre onde não há semáforo.
  • Nos semáforos onde há conversão à direita, quando o sinal abrir, os ciclistas têm a preferência, por isso os motoristas que pretendem fazer a conversão devem aguardar que todos os ciclistas passem.
  • Será criado um “box” para o ciclista aguardar a abertura do sinal à frente dos automóveis.

Itinerário da ciclofaixa da Av. Icaraí, na Zona Sul de Porto Alegre

 





Prefeitura caga pra lei em Porto Alegre

16 03 2012

Diz o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa (1ª edição. Ed. Objetiva, Rio de Janeiro, 2001, pág. 561):

cagar – v. (…) 7. t.i. fig. B. Não dar importância a; desprezar.”

Sem fazer alarde (ou melhor: quase que secretamente), a Prefeitura de Porto Alegre pretende iniciar na próxima terça-feira (20/3) a construção da trincheira (viaduto) no cruzamento da Rua Anita Garibaldi com a Av. Carlos Gomes. Independentemente dos questionamentos referentes a degradação urbana, corte de 60 árvores, estímulo transporte individual motorizado em detrimento do transporte público e deslocamentos a pé, há outra questão de ordem jurídica envolvida no tema.

O Plano Diretor Cicloviário Integrado de Porto Alegre (PDCI – Lei Complementar N° 626/2009) é claro:

Art. 19 – Todos os projetos de construção ou expansão das vias públicas integrantes da Rede Cicloviária Estrutural deverão incluir a implantação do sistema cicloviário previsto, com toda a sinalização horizontal, vertical e semafórica necessária.

§ 1º – Nos casos em que a implantação da via implicar construção de pontes, viadutos ou abertura de túneis, tais obras também deverão ser dotadas de sistemas cicloviários integrados ao projeto.

Mais adiante, a Lei fala sobre a Rede Cicloviária Estrutural, que prevê 495km de vias cicláveis na cidade.

Art. 26 – Constitui a Rede Cicloviária Estrutural o conjunto de vias representadas na figura 2 do anexo 1 e descritas no anexo 2, as quais deverão receber infraestrutura para o tráfego de ciclistas.

No Anexo 2 da Lei, a Rua Anita Garibaldi, em toda a sua extensão, consta como via integrante da Rede Cicloviária Estrutural. Questionamos a EPTC a respeito da implantação da estrutura cicloviária e não recebemos nenhuma resposta até o momento. Na reunião a respeito do PDCI, realizada na Câmara de Vereadores, no dia 1º/3, questionamos o presidente da EPTC, Vanderlei Capellari, a respeito do assunto. Sua resposta foi uma negativa e lacônica balançada de cabeça. Mas quem conseguiu ter acesso ao projeto garante: não há previsão de ciclovia ali. (Esta não é a primeira vez que a Lei do Plano Diretor Cicloviário é desprezada em Porto Alegre, como pode ser visto aqui e aqui.)

Essa é mais uma prova do desleixo com que a Prefeitura vem tratando a mobilidade em bicicleta na cidade (e também do desprezo à Lei). Na Ipiranga, uma ciclovia enjambrada, entre o esgoto a céu aberto e a via de alta velocidade. Na Diário de Notícias, uma via que liga o nada a lugar nenhum, com calçamento trepidante e sem calçada, estimulando pedestres a andar na ciclovia e ciclistas na via dos carros (que é perfeita como um tapete). A EPTC já arrecadou mais de R$ 60 milhões desde 2009 com o fim específico de aplicar na mobilidade em bicicleta e não gastou nenhum centavo até hoje.








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 214 outros seguidores